Notícias

‘Bonitinho, mas ordinário’ placa com aviso de cão bravo em Minas viraliza; entenda

É comum que tutores de cachorros não muito sociáveis avisem sobre os riscos a quem possa se aproximar da casa. Geralmente, a mensagem é repassada apenas com famosa frase “Cuidado: cão bravo”. Mas um casal de Uberaba, no Triângulo Mineiro, decidiu usar a criatividade para que o recado fosse levado a sério, uma vez que, em um primeiro olhar, o Zero, cãozinho da família, não tem muita pinta de bravo.

“Ele é bonitinho, mas é ordinário” – expressão conhecida no país devido ao sucesso da obra de Nelson Rodrigues – foi o adendo que Tamíris de Paula Borges, de 31 anos, e o noivo dela, Thiago Francisco de Morais, de 36, encontraram, de forma bem humorada, para tentar convencer vizinhos, entregadores e afins de que o Zero não é lá flor que se cheire;

Ao BHAZ, Tamíris conta que o Zero já está com 4 anos e não gosta muito de socializar com desconhecidos. “A placa foi para deixar claro sobre o temperamento do Zero, porque muita gente duvida. Mesmo ele demonstrando que não quer muito contato físico, ainda tem gente que passa [na rua] e quer colocar a mão. Foi para deixar um aviso do tipo: ‘não diga que não avisamos’”, conta bem humorada.

A publicitária e o design de peças de motos decidiram então fazer uma plaquinha personalizada. Tamíris conta que o objetivo não era virar meme, mas acabou acontecendo. “Primeiro eu postei nas minhas redes e de cara ali eu vi que muita gente gostou, muita gente riu, muita gente achou engraçado. Era só para quem passasse e visse e desse uma risadinha”, conta.

Zero, o cão bonitinho, mas ordinário (Tamíris Borges/Arquivo pessoal)

A partir dessa reação ela decidiu, então, compartilhar a foto em um grupo do Facebook de tutores de animais, e a publicação viralizou de forma muito rápida. “Foi muito inesperado, a gente não tinha nem ideia que isso fosse acontecer, nem pretensão. Era só para ser uma brincadeira interna”, revela Tamíris.

Com o tamanho do sucesso de Zero, o cãozinho ganhou perfil no Instagram, já tem mais de 800 seguidores. “A gente ainda não entendeu muito bem como que tudo aconteceu. O Instagram dele que eu criei, porque pediram. A repercussão lá está bem bacana também. Os comentários são muito legais, o pessoal é muito carinhoso, a gente está se divertindo muito com essa história”, afirma a publicitária.

Chegada de Zero

O chãozinho Zero foi adotado pela família de Tamíris em 2017, quando a publicitária visitou uma casa de rações para comprar suprimentos para uma ONG (organização não-governamental) que cuida de animais. Na loja, costumam ficar filhotes abandonados em gaiolas para adoção, e Zero, com apenas 2 meses, era um deles. “Ele estava sozinho, na gaiola, os irmãozinhos dele já haviam sido adotados. Ele estava muito doente, muito magrinho, muito pequeno. Não aguentamos”, relembra a publicitária.

Tamíris também conta que, pouco depois da adoção, foi diagnosticada com um câncer no sistema linfático e que Zero foi muito importante nessa fase.

A publicitária e o noivo desconfiam de que esse início de vida mais afastado das pessoas pode ter contribuído para o comportamento antissocial com estranhos de Zero. “Eu acho que isso tem um pouco a ver, além do temperamento natural dele mesmo de ser super protetor”, explica.

Zero nunca atacou ninguém e é super carinhoso com a família. Mas, como avisa a plaquinha, é um ordinário com desconhecidos. “Ele nunca atacou ninguém, nunca mordeu ninguém, mas foi porque a gente nunca deixou. A gente sempre teve responsabilidade de não deixar ele chegar muito perto de pessoas que ele não conhece. Com a família ele é muito tranquilo, muito apegado, é até chato de tão grudento . Mas com pessoas estranhas, a gente tenta manter uma distância para não acontecer anda perigoso. Inclusive, a plaquinha faz parte dessas medidas”, finaliza Tamíris.

Via: BHAZ

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo