Destaques

Colégios planejam retorno das aulas presenciais para 11 de setembro

O Governo do Estado já deixou claro que a data de retorno para as atividades escolares presenciais ainda não está definida. Internamente, porém, os colégios da rede estadual trabalham com o planejamento para retornar as aulas presenciais em 11 de setembro. A tendência é que a rede particular de ensino siga o calendário das escolas públicas.

Na última quinta-feira (dia 30), em reunião online, o Comitê de Volta às Aulas apresentou o protocolo de retorno das aulas presenciais no Paraná. O protocolo trouxe detalhes sobre como vai funcionar o retorno das atividades presenciais quando for autorizado pelas autoridades da Secretaria da Saúde. Além das medidas de segurança sanitária e pedagógicas previstas, o protocolo ainda estabelece a participação dos pais em uma consulta sobre o modelo. O protocolo foi elaborado após 33 horas de reuniões com os integrantes do Comitê e prevê modelo híbrido, com ensino presencial e online, e escalonado. Os estudantes do 3º ano do Ensino Médio e do 9º Ano do Fundamental seriam os primeiros a retornar às aulas e os alunos da Educação Infantil, os últimos. Além da compra de insumos para garantir a segurança, como álcool gel e máscaras, o protocolo também prevê um distanciamento de 1,5m em todos os espaços, incluindo na sala de aula. Será feita também a aferição de temperatura de todos que adentrarem a escola, tendo como limite 37º.

Apesar de o governo afirmar que a data de retorno para as atividades escolares não está definida, internamente, os colégios da rede estadual trabalham internamente com o retorno no dia 11 de setembro. A rede particular de ensino também deve seguir o calendário das escolas públicas.

Consulta aos pais
A Secretaria da Educação fará consulta com os pais de estudantes da sua rede estadual e orientou as demais redes a fazerem o mesmo. A consulta tem objetivo de entender em qual modelo os pais se sentem mais seguros em manter seus filhos, se presencial ou apenas remoto. A resposta vai permitir que a Secretaria e demais redes se organizem para cumprir o protocolo com estrutura e pessoal adequado.

Horários de aula
Já os horários de entrada e saída, e intervalo/recreio devem ser redefinidos e intercalados, de modo a evitar a aglomeração de pessoas e a circulação simultânea de grande número de alunos, nas áreas comuns e nos arredores do estabelecimento.

Modelo híbrido e gradual
O ensino híbrido será adotado. As aulas remotas permanecem diariamente e as aulas presenciais ocorrerão de forma escalonada. Para isso, os estudantes serão divididos em grupos, que farão revezamento, permanecendo por uma semana em aulas presenciais e por uma semana em aulas remotas (on-line).

A retomada de conteúdos também é uma das preocupações do protocolo, com atividades, recuperação e atendimento de estudantes com maior dificuldade.

Retorno escolonado
Quando a data for definida pela Secretaria da Saúde o protocolo prevê um retorno gradual, por faixa etária, na seguinte ordem:

  • Estudantes do 3º ano do Ensino Médio e 9º ano do Ensino Fundamental
  • Estudantes do Ensino Médio
  • Estudantes do Ensino Fundamental I e II
  • Estudantes da Educação Infantil.

Protocolo de segurança

Entre as principais medidas sanitárias previstas pelo protocolo estão a compra de insumos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para todos. Só para a rede estadual serão adquiridos:

  • 5 milhões de máscaras de tecido
  • 200 mil litros álcool em gel por mês
  • 200 mil litros de álcool 70% por mês
  • 95 mil luvas
  • 10 mil termômetros
  • 15 mil toucas
  • 105 mil dispensers
  • 15 mil macacões
  • 15 mil botas

A reunião on-line contou com a participação de todos os integrantes do Comitê. O chefe da Casa Civil, Guto Silva, destacou a importância da finalização deste documento por parte do Comitê. Para Silva, esta é uma preocupação global e a participação do Paraná nesta discussão é essencial: “A Unesco está preocupada com a volta às aulas. E esse comitê representativo trata justamente disso, desta preocupação global. O Governo do Estado tem também a preocupação com o alongamento da crise”, destacou Silva. Gláucio Dias, diretor-geral da Secretaria da Educação, também reforçou a importância do Comitê para elaboração de um plano que atendesse as diferentes preocupações de cada segmento da Educação. “Construímos o plano conversando com cada um dos atores envolvidos na Educação. Isso fez com que pudéssemos elaborar uma proposta completa, um plano robusto e seguro para as famílias paranaenses”, resumiu Dias.

Do Bem Paraná

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar