Notícias

Imposto de Renda 2022: Receita prorroga prazo de entrega da declaração para 31 de maio

Receita Federal prorrogou de 29 de abril para 31 de maio o prazo final de entrega da declaração do Imposto de Renda 2022. Além da declaração de ajuste anual para pessoas físicas, o Fisco adiou o prazo de envio da declaração final de espólio e da declaração de saída definitiva do país.

“A prorrogação visa mitigar eventuais efeitos decorrentes da pandemia da Covid-19 que possam dificultar o preenchimento correto e envio das declarações, visto que alguns órgãos e empresas ainda não estão com seus serviços de atendimento totalmente normalizados”, informou o Fisco nesta terça-feira (5) no Diário Oficial da União,

Ademais, o imposto a pagar apurado também foi adiado e agora, o seu vencimento foi para o final de maio. Só as restituições que seguirão o cronograma anterior, sem alteração.As datas permitidas para o débito automático passam a ser 10 de maio para a primeira cota e até 31 de maio para as demais.

Quem deve declarar o Imposto de Renda?

  • Deve declarar o IR neste ano quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2021, desde que não tenha recebido o auxílio emergencial. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado;
  • Deve declarar quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado;
  • Quem obteve ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • Quem teve, em 2021, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
  • Quem tinha, até 31 de dezembro de 2021, a posse ou a propriedade de bens ou direitos de valor total superior a R$ 300 mil;
  • Quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês do ano passado e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro de 2021;
  • Quem optou pela isenção do IR incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda, também precisa prestar contas ao Fisco;
  • Ficam dispensados de serem informados os saldos em contas-corrente abaixo de R$ 140, os bens móveis, exceto carros, embarcações e aeronaves, com valor abaixo de R$ 5 mil;
  • Também não precisam ser informados valores de ações, assim como outro ativo financeiro, com valor abaixo de R$ 1 mil;
  • As dívidas dos contribuintes que sejam menores do que R$ 5 mil em 31 de dezembro de 2021 também não precisam ser declaradas.

Olhar Digital

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo