Notícias

Indústrias da Coamo estão 100% em operação

Anualmente, todas passam por uma parada para manutenção preventiva dos equipamentos

A Coamo conta com 11 indústrias, sendo dez próprias e uma terceirizada. Anualmente, todas passam por uma parada para manutenção preventiva dos equipamentos. A última a passar pelo processo foi a de Dourados, que retornou com a produção na segunda-feira. Com isso, a cooperativa está com 100% das indústrias em operação. A Coamo conta com indústrias em Campo Mourão, Mamborê (terceirizada) e Paranaguá, no Paraná, e Dourados, no Mato Grosso do Sul.

Atualmente, são processadas 3.000 toneladas/dia de soja em Campo Mourão, 2.000 toneladas/dia em Paranaguá e 3.000 toneladas/dia em Dourados. O refino de óleo de soja em Campo Mourão conta com uma produção diária de 720 toneladas, e a mesma produção é registrada no complexo de Dourados. A produção de margarinas é de 400 toneladas/dia e a hidrogenação de gorduras é de 300 toneladas/dia. No moinho de trigo, em Campo Mourão, são 500 toneladas/dia e em Mamborê, 200 toneladas/dia. A torrefação e moagem de café é responsável por uma produção de 15 toneladas/dia e a fiação de algodão por 9 toneladas/dia.

De acordo com o diretor Industrial da Coamo, Divaldo Correa, as manutenções são necessárias para que todo o processo possa ser realizado em conformidade para atendimento as programações de vendas e exigências do mercado. Ele ressalta que o processo industrial exige empenho e dedicação. “É uma engrenagem que depende de várias peças para se manter funcionando e transformar milhões de toneladas de produtos por ano, agregando valor à produção dos cooperados e gerando empregos e divisas nas regiões em que atuam”, diz Divaldo. O diretor revela que para este ano a expectativa é de um crescimento de 6,6% na industrialização da Coamo.

O processo de industrialização na Coamo começou em 1975 com a implantação do moinho de trigo. Seis anos mais tarde, em 1981, entrou em funcionamento a primeira indústria de processamento de óleo de soja. Na sequência vieram em 1985, a fiação de algodão, 1990 a indústria de processamento de soja e Terminal Portuário em Paranaguá, 1996 refinaria de óleo de soja, 1999 indústria de hidrogenação, 2000 fábrica de margarina e gordura vegetal, 2009 torrefação e moagem de café e 2015 novo moinho de trigo. Em novembro de 2019, a cooperativa inaugurou em Dourados (MS), duas novas indústrias para produção de processamento de óleo de soja e refinaria de óleo de soja.

Da Assessoria

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo