Notícias

Sequestrador de irmão de Zezé Di Camargo e Luciano é morto pelo Bope no Paraná

Além do sequestro do irmão da dupla, em 1998, Ozélio foi um dos 29 fugitivos da Penitenciária Estadual de Piraquara, em 2018

Ozélio de Oliveira, um dos organizadores do sequestro do cantor gospel Wellington Camargo, irmão da dupla Zezé Di Camargo e Luciano, foi um dos cinco suspeitos mortos pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), na noite da última sexta-feira (8), em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Além do sequestro do irmão da dupla, em 1998, Ozélio foi um dos 29 fugitivos da Penitenciária Estadual de Piraquara, também na região metropolitana, em 2018. Líder de uma facção criminosa, condenado a mais de 108 anos de prisão por crimes como roubo, homicídio, Ozélio conseguiu escapar depois que bandidos explodiram o muro da penitenciária.

Wellington Camargo posa para fotos na janela do hospital após sequestro.
(FOTO: Weimer de Carvalho/O Popular)

Morte

De acordo com a Polícia Militar, o serviço de inteligência do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) recebeu a denúncia de que uma quadrilha de São Paulo, ligada ao crime organizado, viria até a Grande Curitiba para assaltar e sequestrar a vítima. Ozélio de Oliveira era o líder do grupo.

Com base nas informações, as equipes localizaram os suspeitos em dois veículos. Durante a perseguição policial, os carros seguiram para bairros diferentes, onde ocorreram as trocas de tiros.

Dois criminosos foram baleados no cruzamento das ruas Mariano Skakuy e Valdemiro Valaski. Já o segundo confronto ocorreu na rua Elvira Schaffer Rocha esquina com a rua Hélio Tomás. No local, outros três suspeitos também foram feridos e não resistiram.

Com os suspeitos foram localizadas três Pistolas, um revólver, uma espingarda calibre 12, fardas do Exército Brasileiro, toucas balaclavas, lacres e munições.

Do RIC Mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo