Notícias

Coamo é a Melhor Cooperativa Agrícola do Brasil

A Coamo é a Melhor Cooperativa Agrícola do Brasil em 2020, conforme ranking do anuário ‘As Melhores da Dinheiro’, da Revista Isto É Dinheiro. O prêmio é anualmente entregue durante evento em São Paulo com a presença de autoridades, líderes setoriais e os presidentes das companhias homenageadas e se tornou uma data aguardada no calendário empresarial do País. Porém, esse ano, devido a pandemia ocasionada pelo novo coronavírus, o reconhecimento ocorreu de forma digital. 

A 17ª edição do anuário “1000 Maiores da Dinheiro” destaca as empresas campeãs em 22 setores, analisando os resultados das 1.000 melhores empresas do Brasil reconhecidas pela capacidade de buscar soluções em inovação e qualidade, recursos humanos, responsabilidade social, governança corporativa e sustentabilidade financeira.

“Um por todos, todos por um.” Esse é o título da reportagem referente à Coamo na edição especial da Isto É Dinheiro. Pouca gente sabe, mas a expressão popular “a união faz a força” tem origem no texto bíblico que diz “é fácil quebrar uma vara, mas é difícil quebrar um feixe de varas”. As cooperativas do agronegócio brasileiro são a pura concretização da metáfora. Juntas, as 1.613 entidades ativas no País respondem por quase 50% do Produto Interno Bruto (PIB) agrícola. De tudo o que é produzido no campo, 48% passam por uma dessas empresas de caráter associativo em algum momento da produção até chegar ao destino final.

Ter vencido no ano passado e agora, em 2020, comprova a alta eficiência da gestão da cooperativa criada em 1970. Em crescimento consistente com a expansão do agronegócio brasileiro, a cooperativa contabilizou a movimentação de 8,1 milhões de toneladas de soja, milho, trigo, aveia e café de janeiro a agosto. Até o fim do ano, a marca de 9 milhões de toneladas deve ser superada com tranquilidade.

Para José Aroldo Gallassini, presidente do conselho administrativo da Coamo, o segredo para que a cooperativa continue a prosperar é a fidelidade dos associados. “O quadro vem crescendo, conforme vamos implementando novas áreas de atuação. Temos como objetivo ampliar constantemente o volume de recebimento da produção e o fornecimento de insumos”, afirmou Gallassini. Em 2019, a Coamo recebeu 3,1% da produção nacional de grãos e exportou mais de 4,8 milhões de toneladas, que representam quase US$ 1,5 bilhão. Para 2020, a previsão é de que os embarques ao exterior ultrapassem as 5 milhões de toneladas, em mercadorias no valor de US$ 1,65 bilhão.

Mesmo com a pandemia da Covid-19 ainda assombrando o mundo, a cooperativa manteve o ritmo e adotou medidas para que os impactos fossem amenizados entre seus mais de 10 mil colaboradores, entre diretos e indiretos. Redução de tempo de horas trabalhadas sem comprometer salários, sistema de rodízio nas unidades, regime de quarentena para grupos de risco e iniciativas para evitar aglomeração e circulação de pessoas, além da higienização pessoal, foram essenciais para que a rotina prevalecesse. “Promovemos condições para vencer essa dura batalha. A agricultura não para e não pode parar”, disse Gallassini.

Os resultados que estão por vir comprovam a efetividade da precaução e do comprometimento de todos. “Comemoramos 50 anos em 2020 celebrando a maior produção da Coamo, com faturamento recorde, graças à variação cambial e ao aumento das exportações”, afirmou o presidente do conselho. Ainda contribuíram para o desempenho da Coamo a safra recorde do campo, a alta do preço de algumas commodities e, sobretudo, a resiliência dos cooperados brasileiros.

Da Assessoria

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo