Notícias

População mais rica e escolarizada é a que menos respeita isolamento no Paraná

Uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira (23) pelo IBGE revela que, no mês de agosto, quatro em cada dez paranaenses não estavam respeitando o isolamento social. Entre os 11,46 milhões de residentes no estado, 108 mil (0,9% do total) não fizeram qualquer medida de restrição em face da pandemia, enquanto outros 4,47 milhões (38,9%) até reduziram o contato com outras pessoas, mas continuaram saindo de casa e/ou recebendo visitas.

Na comparação com o mês de julho, nota-se ainda uma redução importante no número de pessoas que ficaram em casa e só saíram por necessidade básica (de 4,75 milhões para 4,25 milhões) e de pessoas que ficaram rigorosamente isoladas (2,84 milhões para 2,63).

Além disso, também chamam a atenção os resultados por faixa etária, escolaridade e pelo rendimento domiciliar per capita.

Quanto à idade, os jovens com até 13 anos e a população idosa, com 60 anos ou mais, apresentava o maior porcentual de pessoas em isolamento (categoria que engloba os grupos “ficou em casa e só saiu por necessidade básica” e “ficou rigorosamente isolado”), com 94,9% e 81,8%, respectivamente. Por outro lado, 63,9% das pessoas com idade entre 30 e 49 anos não estavam isoladas (inclui “reduziu contato mas continuou saindo de casa e/ou recebendo visitas” e “não fez restrição”), índice que é de 52,7% entre as pessoas com idade entre 50 e 59 anos e de 45,2% entre a população na faixa entre 14 e 29 anos.

Considerando-se a renda, temos os dois grupos com maior rendimento domiciliar per capita (quatro salários mínimos ou mais e entre 2 e 4 salários mínimos) como os grupos que menos aderiram ao isolamento social, com índices de 50% e 46,8%, respectivamente.

Por fim, analisando os números no tocante à escolaridade, temos que as duas camadas mais escolarizadas (“ensino médio completo ao superior incompleto” e “superior completo ou pós-graduação”) como os menores índices de isolamento social, de 57,4% e 56,5%. Em contraste, 79,8% da população sem instrução ou com o ensino fundamental incompleto só saiu de casa por necessidade básica, porcentual que é de 56,5% entre a população que tem ensino fundamental completo e ensino médio incompleto.

Do Bem Paraná

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo