Notícias

Diretor de presídio esclarece sobre quarentena de presos em Campo Mourão

“Não sei de onde alguns órgãos de imprensa tiraram que receberemos presos de Toledo, pois Toledo pertence à Regional de Cascavel, não à nossa” Arnobe Lemos dos Reis, diretor do Presídio

O presídio construído pelo governo do Estado em Campo Mourão (foto) foi uma das unidades escolhidas para receber os presos que necessitam ficar em isolamento por 14 dias em razão de suspeita de Covid-19. Foi o que esclareceu na manhã desta terça-feira (16), o diretor do presídio, Arnobe Lemos dos Reis, do Departamento Penitenciário (DEPEN), em reunião com o prefeito Tauillo Tezelli.

“Ela foi selecionada pelo Estado por estar vazia e ter 54 vagas para isolamento individual. Foi montado um ambulatório, com atendimento de técnico de enfermagem do DEPEN e acompanhamento periódico de um enfermeiro da Secretaria de Saúde de Campo Mourão”, explicou o diretor.

Além disso, o próprio DEPEN é responsável pela higienização do local e segurança dos presos.

Ele ressaltou que são recebidos apenas presos da regional do DEPEN. “Não sei de onde alguns órgãos de imprensa tiraram que receberemos presos de Toledo, pois Toledo pertence à Regional de Cascavel, não à nossa”, afirmou Reis, ao reforçar que os presos ficam no máximo 14 dias e depois voltam às suas unidades de origem.

Desde maio até agora já passaram 50 presos com necessidade de quarentena de 7 comarcas da nossa Regional de Maringá e apenas três tiveram diagnóstico positivo para o COVID-19, todos estáveis e sem necessidade de internação”, afirmou.

Dos atuais 35 em quarentena no local, a maioria volta ainda esta semana para as cadeias de onde vieram.

Ele afirma que a medida foi adotada pelo Estado justamente para evitar maior disseminação da doença nas cadeias da região.

“Um preso contaminado dentro de uma cadeia com outros 100 vai contaminar a maioria e todos terão que ser atendidos na rede pública. Um presídio vazio onde eles podem cumprir a quarentena em celas individuais é a melhor medida que o Estado poderia adotar, até porque quem está doente com necessidade de internação nem vem pra cá”, completou.

Da Redação com Assessoria

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo