Sexta-Feira
16/11/2018
Concurso Cultural PlayEnergy 2018 premiou alunos e escolas em Campo Mourão
publicado em: 06/11/2018 - 19:53h

O Concurso Cultural PlayEnergy 2018, promovido pela ENEL, empresa italiana que atua na geração e distribuição de energia elétrica e gás natural, premiou na manhã desta terça-feira, no IMAPE, alunos e escolas de Campo Mourão e Luiziana. Ao todo, o concurso foi realizado em 11 cidades brasileiras, sendo apenas estas duas paranaenses. Quem esteve na cidade para fazer a premiação foi Anabelle Custódio, coordenadora de projetos da La Fabbrica Comunicação e Marketing. Os primeiros colocados levaram um smartphone, os segundos uma bicicleta e os terceiros um kindle (leitor de livros digitais). A escola do primeiro lugar levou ainda o valor de R$ 2.500,00.

   > Clique na imagem para ver galeria de fotos

O PlayEnergy foi criado há 14 anos, levando para as escolas conteúdos sobre sustentabilidade, inovações tecnológicas e a utilização de recursos por meio de fontes renováveis de energia e eficiência energética. Em Campo Mourão é o terceiro ano que é desenvolvida a iniciativa, enquanto em Luiziana foi o primeiro ano.


Em Campo Mourão, o trabalho primeiro colocado foi “a importância do reaproveitamento da água da chuva para lavar as calçadas e os banheiros da escola para a redução do consumo de água potável”, das alunas Alindy Erondina Gomes Coleraus e Ana Beatriz Ossuna Lírio, quarto ano, da Escola Municipal Mário de Miranda Quintana (a professora responsável foi Larissa de Souza Vieira). O segundo foi “bicicleta movida pela energia do movimento, resolvendo conflitos e o sedentarismo”, dos estudantes Vinycius Bandeira Romano Pereira e Binka Sentiuka Ruvino, quinto e quarto ano, da Escola Municipal Paulo VI; professores responsáveis Cláudia de Souza Rocha e Paulo Henrique Feitosa. O terceiro colocado foi Energia do Bem, dos alunos Deborah Evellyn da Silva Remigio e Julio Fernandes de Souza (segundo ano) da Escola Municipal Manoel Bandeira (a professora responsável foi Yasmin Carolo Quini Krachliwski).


Em Luiziana, o trabalho primeiro colocado foi Cisterna por Gravidade, das estudantes do quinto ano da Escola Municipal Rita de Cássia Eduarda Mentz Vedovato e Evelen Letícia Poleto. O segundo foi Portão com Contra Peso, também com alunos do quinto ano (Dantielle Juk de Almeida e Rafaela Andrade). O terceiro lugar ficou com o projeto Ventilador Solar (Células Fotovoltaicas), com os alunos José Matheus Evangelista Bezerra e Maria Thayná, todos com o professor Vagner da Silva Oliveira como responsável.


A Diretora Auxiliar da Escola, professora Ana Rosa Sezanenko Mailkut, viu com muita satisfação a participação da escola neste projeto, os trabalhos desenvolvidos e as classificações obtidas. “É muito representativo pra nós, sem dúvida alguma, motivo de muita felicidade e orgulho, pois temos certeza que os alunos ganharam muito em conhecimento desenvolvendo os seus projetos, sempre visando um mundo melhor”, afirmou.


A professora Larissa de Souza Vieira, do integral e regente 1 da Escola Municipal Mario de Miranda Quintana, responsável pelo projeto primeiro colocado em Campo Mourão, ficou muito satisfeita e orgulhosa com o resultado conquistado. “Elas pensaram numa forma de armazenar as águas das chuvas em uma cisterna (para não desperdiçar água potável) reaproveitando-a na limpeza dos banheiros, calçadas, enfim, para higienização da escola. As águas das chuvas, na ideia delas, poderia ser encanada também para as descargas, pois na escola tem 240 alunos (aproximadamente) e mais uns 60 colaboradores, que sempre estão usando os sanitários. É uma forma de cuidar do meio ambiente, economizando a água, o que ajudaria também na produção da energia elétrica, pois seriam economizadas as águas dos rios. Com o reaproveitamento da água da chuva, então, reduziríamos o consumo de água potável”, salienta  a professora vencedora.


Carla Poma, Coordenadora da Escola de Tempo Integral da Secretaria de Educação do Município de Campo Mourão, destacou que os projetos desenvolvidos são de fundamental importância para as crianças. “Participamos com sete escolas de tempo integral, e chegamos com cinco finalistas, que tiveram projetos selecionados para esta escolha final, sendo que tivemos escola com até dois trabalhos selecionados. Sem dúvida alguma, foi importante, para as crianças será um aprendizado que ajudará no desenvolvimento curricular e na formação cidadã”, ressaltou.


Anabelle, do Concurso PlayEnergy, deixou bem claro que o concurso convidou os professores e estudantes a compartilharem as suas ideias sobre o uso inteligente da energia elétrica. “A ENEL, mantenedora do projeto, quer muito que as novas gerações entendam o uso consciente deste recurso tão importante, pois se a gente parar para analisar, a energia elétrica está em tudo na nossa vida, então convidamos os estudantes a refletirem sobre isso e pensarem como podemos usar melhor este recurso da energia elétrica, tanto as sustentáveis, como as renováveis, as eólicas e as solares, na tentativa de procurar equilibrar o uso da principal matriz brasileira que ainda é a hidráulica. Esta é uma forma de convidar as novas gerações, portanto, a pensarem estas inovações, pois precisamos cada vez mais cuidar do planeta”, conclui.

Fonte: Da Redação com Assessorias
Contato: [email protected]
VOLTAR
IMPRIMIR
ENVIAR
X
Meu Nome:
Meu E-mail:
Para:
E-mail:
Mensagem: