Quarta-Feira
23/08/2017
Bauru conquista a edição 2016/17 do NBB
publicado em: 18/06/2017 - 07:35h
Na liderança de ponta a ponta, Bauru vence Jogo 5 contra Paulistano e conquista inédito título do NBB CAIXA

Por LNB

O Gocil/Bauru Basket é o grande campeão do NBB CAIXA 2016/2017. Neste sábado (17/06), no Ginásio Gigantão, em Araraquara (SP), a equipe do interior paulista venceu o Jogo 5 das Finais contra o Paulistano/Corpore, por 92 a 73, e conquistou o inédito título da maior competição de basquete do país.

O NBB CAIXA é uma competição organizada pela Liga Nacional de Basquete (LNB), em parceria com a NBA, e conta com o patrocínio master da CAIXA, os patrocínios da SKY, Nike e Avianca e o apoio do Ministério do Esporte.

Solta o grito! Depois de dois vice-campeonatos seguidos – ambos com derrota para o Flamengo na decisão –, Bauru se tornou a terceira equipe a se sagrar campeã do NBB CAIXA na história. Os rubro-negros têm cinco títulos, e Brasília tem três.

Virada e título: Após perder os dois primeiros jogos na série, Bauru venceu três partidas seguidas para ficar com o título e se tornou a primeira equipe a vencer as Finais do NBB CAIXA de depois de ter 2 a 0 de desvantagem. Esta foi também a segunda virada seguida nestes playoffs, já que na semifinal diante do EC Pinheiros o cenário foi idêntico.

De ponta a ponta: Para sair vencedor na partida decisiva, Bauru ficou praticamente o tempo todo na liderança. Com exceção a rápidos 15 segundos no primeiro tempo em que o placar esteve empatado, o “Dragão” esteve em vantagem durante todo o jogo e consolidou seu resultado positivo com grande desempenho na segunda metade da partida.

Fala aí: “O troféu é para consagrar o trabalho de um time, de uma família. A temporada foi longa. O mais importante agora é comemorar. Muitas vezes fui questionado, mas acredito demais no meu trabalho e na minha filosofia. A partir do momento que o nosso time teve confiança ele se transformou. Nos transformamos constantemente ao longo da temporada, então acho que todo o trabalho calejou a equipe e a partir do momento que a gente encaixou conseguimos dar um padrão de jogo e não deixamos de acreditamos até o final”, destacou o comandante Demétrius.

Brabo MVP: Campeão do NBB CAIXA pela quarta vez na carreira, Alex Garcia faturou o prêmio de MVP das Finais pela primeira vez. Neste sábado, o “Brabo” foi o cestinha da partida, com 24 pontos, e ainda contribuiu com cinco rebotes e três assistências. Suas médias na série foram de 21,7 pontos, 6,6 rebotes e 4,0 assistências por partida.

Fala aí: “O MVP é consequência do que fazemos no jogo. O que queríamos mesmo era esse título. Depois de duas temporadas sendo vice, o time precisava vencer. Jogamos muita bola nos últimos dois jogos e nesse quinto jogo aqui em Araraquara mostramos muita garra. O time foi muito guerreiro na defesa e quando tínhamos a bola na mão tivemos tranquilidade para trabalhar e buscar a vantagem no placar e vencer. É um título para nós, é o título para a nossa cidade”, disse o capitão e MVP Alex Garcia.

Peças-chave: Shilton teve mais uma grande atuação nas Finais e foi outro nome fundamental para a vitória bauruense no Jogo 5. O pivô registrou um duplo-duplo de 16 pontos e dez rebotes e se sagrou campeão do NBB CAIXA pela terceira vez na carreira. Outro a se destacar pelo time vencedor foi o ala Léo Meindl, autor de 23 pontos.

Choveu bola de 3: Um dos principais trunfos do Bauru na partida deste sábado foi o ótimo aproveitamento nos arremessos de três pontos, com 13 acertos em 26 tentativas (50%), sendo quatro de Alex, três de Jefferson e outras três de Léo Meindl. Do outro lado, o Paulistano converteu apenas seis tiros de longa distância em 30 tentativas (20%).

Campanha honrosa: Com um elenco de média de 21,9 anos, o Paulistano se tornou a mais jovem equipe a disputar as Finais do NBB CAIXA. O clube da capital paulista ficou com o vice-campeonato pela segunda vez – o outro foi na temporada 2013/2014, com derrota para o Flamengo na decisão.

Bem que tentou: O pivô Renato Carbonari foi o grande destaque individual do Paulistano na partida deste sábado foi o. O jogador foi o cestinha da equipe, com 20 pontos, e ainda contribuiu com sete rebotes. O jogador, de 30 anos, foi o destaque do time na série, com médias de 10,4 pontos e 7,2 rebotes por jogo.

Foi pro jogo: Dúvida até minutos antes da partida, por conta de uma lesão no tornozelo sofrida no Jogo 4, o ala Lucas Dias, do Paulistano, atuou por 21 minutos, mas teve uma atuação discreta e deixou a quadra com apenas três pontos.

Desde o começo: O time do interior paulista passou praticamente o primeiro tempo todo em vantagem – dos 20 minutos jogados foram 19:45 com os bauruenses em vantagem. No entanto, o Paulistano se manteve sempre na cola e a diferença no placar oscilou entre um e quatro pontos na maior parte do tempo.

Rápida sequência: Restando pouco mais de um minuto para o intervalo, a diferença era de apenas um ponto (34 a 33). Só que em um curto espaço de tempo, Bauru dez pontos e, depois de uma bola de três pontos de Gegê no estouro do cronômetro, partiu para os vestiários com sete pontos de frente (44 a 37).

Arrancada bauruense: No terceiro quarto, o equilíbrio deu lugar ao domínio do Bauru e a equipe mandante tratou de dobrar a diferença no placar. Com 11 pontos de Alex Garcia, o “Dragão” venceu a parcial por 23 a 16 e chegou ao último período vencendo por 14 pontos (67 a 53).

Só deu Bauru: Com a larga vantagem a seu favor, o time mandante não deu qualquer chance de reação ao Paulistano na parcial final. Ainda com ótimo aproveitamento ofensivo, os bauruenses marcaram 25 pontos nos dez minutos finais e garantiram o triunfo na partida decisiva com tranquilidade no fim.
Fonte: LNB
Contato: contato@crn1.com.br
VOLTAR
IMPRIMIR
ENVIAR
X
Meu Nome:
Meu E-mail:
Para:
E-mail:
Mensagem: